Cirurgia plástica na coxa

Procurada principalmente por pessoas que perderam muito peso, a cirurgia plástica na região das coxas tem sido muito recorrente. Além deste procedimento, é comum que as pessoas também façam lipoaspiração e o lifting, para remodelar o contorno do corpo. A cirurgia plástica na coxa é conhecida como dermolipectomia de coxas.

Muitas pessoas procuram esse tipo de intervenção para retirar a gordura localizada nessa região do corpo. O excesso de pele atrapalha também a mobilidade, causando flacidez e incômodos para pessoas de todas as idades.

Quem ganha e perde peso muito frequentemente costuma sofrer com a flacidez das coxas. A falta de atividade física constante também colabora para esse acúmulo de gordura no local. A cirurgia não é complexa e o período de internação dificilmente ultrapassa dois dias.

É importante ter em mente que a cirurgia plástica na coxa não é recomendada para perda de peso. Porém, quando aliada a uma rotina de vida saudável e exercícios físicos, tem resultados muito mais satisfatórios. Ela não é indicada para quem manteve um peso irregular durante os meses anteriores. Por tudo isso, é aconselhável o acompanhamento de um profissional de nutrição antes de realizar a cirurgia.

Indicações para a cirurgia plástica na coxa

A cirurgia plástica de coxa é muito indicada para quem já realizou uma cirurgia bariátrica (processo de redução de estômago). Com a grande perda de peso, a pele acaba flácida e a dermolipectomia é uma alternativa. É importante, contudo, que aconteça ao menos a redução de 40% do peso anterior à bariátrica e o procedimento só deve acontecer após o peso do paciente obter uma estabilização de 12 a 18 meses.

Como cada pessoa apresenta uma necessidade específica para a cirurgia, há tipos distintos para atuar em pontos específicos:

  • Somente excesso de pele nas partes superior e interna;
  • Excesso de pele e gordura na parte superior e interna;
  • Excesso de pele e gordura na parte superior e interna e externa;
  • Excesso de pele e gordura em toda a coxa.

É exigido ainda que o paciente tenha parado de fumar há pelo menos um mês da data da cirurgia.

A cirurgia plástica na coxa

A dermolipectomia não é uma cirurgia que oferece grande risco ao paciente. O aconselhável é sempre realizá-la obedecendo os critérios técnicos e médicos para que o pré-operatório seja bem realizado. A anestesia para esse tipo de cirurgia pode ser peridural ou geral, variando conforme cada caso.

O procedimento cirúrgico dura em média de 3 a 4 horas. Já o período de internação varia conforme a evolução do paciente, normalmente sendo de um a dois dias. Durante uma semana ou dez dias é comum ser receitado o uso de antibióticos para evitar infecções na região do procedimento.

Já os pontos, quando houver necessidade, serão retirados de 7 a 15 dias após a cirurgia, dependendo da evolução. O banho só é aconselhável mais de 48h após a realização da intervenção cirúrgica. Quanto à exposição ao sol, deve-se evitar por cerca de dois meses.

A operação é contraindicada para pessoas com doenças vasculares, principalmente linfedema, insuficiência arterial/venosa nos membros inferiores ou fumantes.

Tipos de procedimentos

Entenda cada tipo de cirurgia plástica na coxa e como cada uma realmente funciona:

  • Lipoaspiração: Essa acontece sem a necessidade de ressecamento da pele. É mais indicada para jovens que tenham um leve acúmulo de gordura. É ideal também para quando não há flacidez na região. A cicatriz é muito pequena, podendo ser nas dobras das virilhas e em cada joelho;
  • Cruroplastia conservadora: indicada para casos em que há excesso de pele e gordura. As cicatrizes ficam localizadas nas virilhas e raízes das coxas;
  • Cruroplastia convencional: essa é indicada para pacientes que tenham realizado uma cirurgia bariátrica. É também aconselhável para quem é mais velho e possui excesso de pele e flacidez. As cicatrizes tornam-se maiores. São localizadas na parte interna e nas raízes das coxas. Podem aparecer também entre as virilhas e os joelhos.

Pós-operatório da cirurgia plástica na coxa

A cirurgia plástica na coxa tem um pós-operatório que exige cuidado como qualquer outra. Após a alta da internação, o paciente deve tomar alguns cuidados em casa para evitar a má cicatrização ou infecção. O repouso total é recomendado por pelo menos uma semana.

Por ser uma cirurgia na coxa, é importante que os movimentos sejam contidos, principalmente ao abrir as pernas. Isso evita que a cicatriz acabe se alargando. Por isso, os passos devem ser curtos e sem afastar muito as pernas.

Pacientes obesos poderão observar a eliminação de um líquido amarelo pelos pontos da cicatriz. Isso é normal e se chama “lipólise”. Os médicos aconselham ter paciência para ver os resultados 100% da cirurgia na coxa. Pode levar de seis a doze meses para que os resultados definitivos sejam observados.

Cicatrização da cirurgia plástica na coxa

A cicatriz ocasionada pela cirurgia pode passar por várias etapas. Confira:

  • Período imediato: estende-se até o 30º dia e tem o aspecto pouco visível;
  • Período médio: do segundo ao sexto mês. Nota-se um espessamento da cicatriz e um clareamento da sua cor. Esse é o período mais lento da cicatrização;
  • Período tardio: do sexto ao vigésimo quarto mês. A cicatriz fica ainda mais clara e começa a tomar a sua forma definitiva.

Riscos da cirurgia plástica na coxa

A cirurgia plástica na coxa apresenta poucos riscos, mas é importante ter conhecimento deles:

  • Sangramento;
  • Má cicatrização;
  • Sensibilidade alta na pele;
  • Necrose da pele;
  • Dor;
  • Inchaço na pele;
  • Trombose;
  • Assimetria.