Cirurgia plástica nos seios

A cirurgia plástica nos seios é uma das intervenções mais procuradas no Brasil. Seja pela questão estética ou para reconstruir a mama, o procedimento pode ser realizado por homens e mulheres. Há pelo menos quatro tipos principais de cirurgia plástica nos seios, cada uma adequada para uma situação.

A procura por esse tipo de cirurgia no Brasil é grande. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, em 2016 foram 288.597 cirurgias desse tipo no país. É a segunda cirurgia plástica mais realizada no território nacional.

Apesar de ser tão comum, exige cuidados especiais tanto no pré quanto no pós-operatório. A mamoplastia, como é chamada a cirurgia plástica nos seios, costuma ser sinônimo de confiança e autoestima, principalmente às mulheres. Em pacientes que enfrentaram o câncer de mama, por exemplo, a reconstrução da mama pode devolver a autoestima.

Indicação para a cirurgia plástica nos seios

O procedimento é recomendado em alguns casos específicos:

  • Ser mais de 18 anos, já que antes disso a mama ainda não se desenvolveu por completo;
  • Pacientes que tenham flacidez e caimento das mamas ocasionados pelo envelhecimento;
  • Mulheres que amamentaram e a mama não mais voltou a ser como era;
  • Pacientes com grande variação de peso;
  • Pacientes com mamas pequenas;
  • Pacientes com mamas grandes que acabam por sofrer com dores na coluna.

Cada caso deve ser discutido com o médico responsável. Ele irá indicar a sua real necessidade e qual tipo de prótese, por exemplo, é o mais ideal.

Tipos de mamoplastia

O que muitas pessoas se confundem é quanto ao tipo de cirurgia plástica nos seios que devem procurar. Há tipos específicos para cada necessidade do paciente. Conheça os quatro principais abaixo:

  • Mamoplastia de aumento: é realizada com o intuito de aumentar os seios. É indicada tanto para mulheres com seios pequenos quanto para aquelas que amamentaram e perderam volume na mama. O cirurgião coloca uma prótese de silicone que aumenta o volume nas mamas. Não há um padrão específico, já que cada mulher pode decidir qual o tamanho que deseja obter;
  • Mamoplastia redutora: ao contrário da primeira, é para quem tem a intenção de diminuir o volume nas mamas. Isso ocorre por inúmeros motivos: o peso dos seios causa dores na coluna ou o tamanho é desproporcional ao corpo. Homens que possuem ginecomastia também podem buscar essa alternativa para eliminar o excesso na mama;
  • Mastopexia para levantar seios: é mais conhecida como lifting da mama. Ajuda a definir os seios quando estão muito caídos. É muito procurada por pessoas acima dos 40/50 anos, lactantes recentes ou pessoas que perderam muito peso. A cirurgia retira excesso de pele para levantar a mama;
  • Reconstrução: esse tipo pode alterar desde a forma até o tamanho da mama. É o mais indicado para pacientes que sofreram com o câncer de mama. Também é escolhida por quem deseja corrigir assimetrias entre as mamas.

A cirurgia costuma durar em média 4h.

Pós-operatório da mamoplastia

Embora os pacientes possam ser liberados no mesmo dia após a cirurgia, ela exige muito repouso no pós-operatório. Os pacientes devem ter consciência ainda de que haverá dor no local. A recuperação da cirurgia plástica nos seios começa a acontecer após duas semanas.

É indicado que o paciente durma sempre de barriga para cima. Isso evita que acabe pressionando as mamas e retarde a cicatrização. O uso de bandagem ou sutiã especial também é obrigatório por pelo menos três semanas. Os movimentos com os braços devem ser limitados, assim como a prática de exercícios físicos antes da liberação médica. É importante também que nas primeiras semanas não se conduza automóveis.

Depois de um mês o paciente pode incluir na sua rotina alguns exercícios leves como caminhadas. Relações sexuais devem ser evitadas por pelo menos 15 dias.

Após a cirurgia é comum que o médico receite medicamentos para aliviar a dor e prevenir inflamações. Os anti-inflamatórios e antibióticos devem ser ingeridos conforme as instruções do médico, nunca por conta própria.

Cicatriz da cirurgia plástica nos seios

A cirurgia plástica nos seios ocasiona em uma cicatriz visível, mas que melhora com o passar do tempo. Na verdade, a cicatriz apresenta variação de uma pessoa à outra. Vários fatores interferem nesse ponto, inclusive o peso do paciente.

É possível visualizar a cicatriz da mamoplastia ao redor da aréola até à parte de baixo da mama. Em até um ano após o procedimento a cicatriz diminui consideravelmente.

Os pontos da cirurgia são retirados conforme o avanço da cicatrização. Normalmente leva uma semana até que o médico faça a sua retirada.

Contraindicações da cirurgia plástica nos seios

  • Pacientes que apresentem patologias específicas na região do corpo;
  • Menores de 18 anos;
  • Pessoas com o peso irregular;
  • Fumantes.

Complicações da cirurgia plástica nos seios

Como toda cirurgia, a mamoplastia também pode ocasionar em complicações ao paciente. Embora o risco seja mínimo, principalmente quando se cumpre todas as recomendações do pós-operatório, é importante estar atento.

O paciente pode sofrer sofrer com as seguintes complicações:

  • Infecções;
  • Hematomas;
  • Aumento da sensibilidade na mama;
  • Dores;
  • Rejeição da prótese;
  • Assimetria nas mamas.

Próteses

Nos tipos de mamoplastia em que são colocadas próteses, os pacientes possuem muitas dúvidas. Em geral, as próteses podem ser de vários tipos. Há próteses de gel (silicone ou solução salina), bolsa de tecido liso, rugoso ou texturizado e com camada de poliuretano. O cirurgião é quem indica qual a melhor escolha de acordo com o seu quadro clínico.

A recomendação é de que a prótese seja trocada no máximo a cada dez anos. Somente de 6 meses a 1 ano depois que o resultado fica 100%. Contudo, logo após a cirurgia já se pode notar a diferença.

A rejeição das próteses é o que mais assusta os pacientes. Esse fato, entretanto, deve ser evitado com a escolha do profissional e materiais certos. Quanto à amamentação, não há implicações devido à prótese.