Lifting

Na sua tradução literal, lift – verbo que origina lifting – significa “levantar”. Essa é realmente a ideia de procedimentos como o lifting. A técnica “levanta” tecidos, ou seja, devolve o ar jovial à pele. O lifting não é um procedimento invasivo e possui vários tipos, sendo o facial um dos mais procurados no país.

O procedimento não é apenas facial, embora seja o mais comum. Ele também pode ser realizado em outras regiões: coxas, braços, seios, glúteos, entre outros. É indicado para casos de rugas muito aparentes e, principalmente, peles muito flácidas.

É uma alternativa ainda para as pessoas que tenham perdido muito peso. Elas acabam recorrendo à técnica para se livrarem do excesso de pele após o emagrecimento.

Para as mulheres que passaram dos 45 anos, por exemplo, o lifting pode significar uma nova autoestima. As rugas são comuns até mesmo em pessoas abaixo dos 30 anos, mas o envelhecimento o acentua. Por isso, as mulheres nessa faixa etária são adeptas ao procedimento.

Tipos de lifting

Facial: Com grande procura no Brasil, esse tipo de lifting trata da flacidez da pele do rosto. O cirurgião realiza um corte na região do couro cabelo e, em seguida, retira o excesso de pele.

Em outros casos, pode ser feito ainda para “levantar” o rosto através da sobrancelha. No lifting facial frontal são as rugas que são tratadas com aplicação de toxina botulínica. É um procedimento considerado simples na medicina.

Cruroplastia: esse tipo realoca os tecidos internos da coxa em seu lugar de origem. É muito indicada para quem perdeu uma grande quantidade de peso e fico com excesso de pele. Na cirurgia o médico resseca esse excesso e deixa a pele mais firme. Os resultados não demoram a serem vistos.

Braquioplastia: a cirurgia atua diretamente na flacidez dos braços. Assim como nas coxas, é ressecado o excesso de pele, dando um contorno mais definido e firme ao braço.

Lifting no pescoço: quando há o envelhecimento do pescoço, muitas pessoas recorrem à prática. A cirurgia dá um novo contorno ao pescoço, tornando a pele na região mais jovem.

Mastopexia: esse é o famoso procedimento que “levanta” os seios. Com a idade e até a amamentação, muitas mulheres reclamam que os seios estão “caídos”, flácidos. A cirurgia os recoloca no lugar.

Lifting nos glúteos: esse procedimento reposiciona os tecidos do bumbum. Pode dar o efeito “rebitado” que muitas mulheres buscam.

Pré-operatório do lifting

Como em qualquer procedimento cirúrgico, é necessária uma preparação prévia antes do lifting, mesmo sendo considerada uma cirurgia simples.

O mais importante para que todo o processo ocorra bem é a contratação de um profissional responsável e competente. Somente ele é quem poderá indicar exatamente qual a sua necessidade no bloco cirúrgico.

A conversa entre o paciente e o médico é um momento fundamental antes no período pré-operatório. É nela que o paciente poderá falar ao médico sobre as suas expectativas e esclarecer dúvidas.

É importante que o médico deixe tudo muito claro sobre o procedimento pelo qual o paciente irá passar.

O médico deverá solicitar alguns exames que são padrões para quem irá realizar uma cirurgia. São eles: hemograma, raio-X, exames de urina e avaliação cardiológica.

Esses exames eliminam qualquer risco a mais para o paciente durante a cirurgia. Cada tipo de lifting poderá exigir ainda exames mais específicos da região que será realizada a operação.

Fumantes devem procurar evitar o cigarro pelo período de um mês antes da cirurgia. Isso ajuda a evitar, inclusive, uma possível necrose da pele, entre outras complicações.

O consumo de álcool por pelo menos 15 dias antes da data do lifting também deve ser evitado. Qualquer alteração na saúde do paciente, como resfriados e outras doenças, deve ser comunicado imediatamente ao médico.

Pós-operatório do lifting

Cada lifting tem o seu tempo de recuperação. Isso também pode variar muito de um paciente para o outro, principalmente porque cada um reage de uma maneira.

Algumas pessoas possuem a cicatrização da pele mais rápida do que outras. Entretanto, normalmente o repouso varia de sete a 15 dias na maioria dos procedimentos.

Os pacientes podem apresentar dores e hematomas nos dias seguintes ao procedimento, o que é considerado normal. Isso costuma ser esperado e o médico pode receitar alguns medicamentos para aliviar.

Após a cirurgia, alguns cuidados gerais devem ser tomados para evitar infecções e a má cicatrização. Confira alguns deles:

  • Não retirar os pontos antes do médico o fazer;
  • Utilizar compressas geladas na zona da cirurgia para aliviar as dores e hematomas;
  • Evitar exercícios físicos por pelo menos um mês;
  • Utilizar malha compressiva por uma semana ou até trinta dias, dependendo da recomendação médica;
  • Evitar alimentos muito sólidos em casos de lifting facial;
  • Evitar a exposição direta ao sol por até dois meses;
  • Realizar drenagem linfática para melhorar a drenagem dos tecidos e o inchaço.

As cicatrizes ocasionadas em cirurgias de lifting não assustam e em até seis meses podem desaparecer. A curiosidade dos pacientes pelo resultado final é grande.

Contudo, é preciso ter paciência, já que, normalmente, apenas após seis meses o resultado 100% é observado. Isso, é claro, não é uma regra, mas os médicos devem sempre deixar os pacientes esclarecidos quanto a isso.

Complicações e riscos do lifting

Qualquer procedimento cirúrgico pode levar o paciente a sofrer com complicações. Esse é um risco normal ao qual se é exposto. Contudo, o lifting, nos seus mais variados tipos, não costuma oferecer riscos graves ao paciente.

De qualquer forma, por se tratar de uma cirurgia, pode apresentar as seguintes complicações em maior ou menor grau:

  • Deformidade da cicatriz;
  • Abertura dos pontos;
  • Perda de sensibilidade na região operada;
  • Paralisação da face no caso do lifting facial;
  • Infecções;
  • Necrose da pele.

O que ajuda a evitar qualquer um desses riscos é a escolha do profissional certo para o procedimento. Conversando bem com o seu médico você pode adquirir confiança nele. Somente se submete ao procedimento se puder se sentir seguro com relação ao profissional que realizará a sua operação.