Mamoplastia

Inúmeras mulheres buscam na mamoplastia uma alternativa para modificar o formato das mamas. A cirurgia plástica realizada nos seios pode alterar completamente a aparência e aumentar a autoestima das pacientes.

O procedimento é um dos mais procurados no Brasil, sendo registrados mais de 350 mil por ano.

Tanto para reduzir quanto para aumentar o tamanho dos seios, a mamoplastia resolve muitos conflitos de autoestima. Algumas pessoas passam a vida toda incomodadas com a falta de simetria entre o seu corpo. É através da mamoplastia que elas conseguem ter uma nova perspectiva para si.

A cirurgia também vai além de razões puramente estéticas. A mamografia reconstrutora, por exemplo, é direcionada a pessoas que tiveram câncer de mama. Ela devolve às mulheres a autoestima e a confiança, já que pode acontecer a remoção da mama durante a doença.

Seja para aumentar, diminuir ou reparar as mamas, a mamoplastia pode ser de mais de um tipo. Cada caso possui um objetivo específico e deve ser discutido com o cirurgião responsável. Somente ele é quem pode indicar exatamente o tipo de procedimento que você precisa e será melhor ao seu corpo.

Mamoplastia de aumento

Quem busca implantar uma prótese de silicone nas mamas recorre à mamoplastia de aumento. A cirurgia é indicada para mulheres cujos os seios são considerados pequenos. Mulheres que tenham tido grande perda de peso também pode recorrer a esse tipo de mamoplastia.

A prótese deve ser escolhida junto ao cirurgião plástico. Ela pode ser em forma de gota, natural, redonda ou ter um perfil mais artificial. Tudo isso dependerá de como a mulher deseja que o aspecto pós-cirurgia tenha. Quanto mais alto for o perfil da prótese, mais “empinada” ficará a mama, e, consequentemente, mais artificial.

A escolha do tamanho da prótese varia muito. Deve ser escolhido de acordo com o perfil do paciente, levando em conta fatores como o peso e a altura. Normalmente, são utilizadas próteses de 200 a 300ml. Mais do que isso é indicado apenas para mulheres mais altas e com uma estrutura óssea maior.

A prótese pode ser de dois materiais: silicone ou soro fisiológico. Durante a cirurgia o médico realiza um corte ao redor da aréola. Pode ser feito na parte de baixo da mama ou até mesmo na axila. Em seguida, o silicone é implantado e o médico volta a fechar a região com pontos.

A cicatriz varia de cirurgia para cirurgia. Ela costuma ser pequena, próxima à região da axila ou então na parte inferior das mamas.

Mamoplastia de redução

O tamanho grande das mamas também pode incomodar as mulheres. Através da mamoplastia de redução elas eliminam o volume que consideram excessivo. Muitas vezes as mamas grandes podem causar fortes dores e até lesões na coluna e no pescoço.

O procedimento cirúrgico nesse caso é bem simples. O médico retira o tecido glandular, gordura e pele que houver em excesso. A cirurgia ajuda também a modelar os seios após a retirada do volume excedente. A cicatriz é quase imperceptível, ficando localizada na região da aréola e diminui com o tempo.

Mamoplastia reparadora

Há mulheres que nascem e, com o decorrer do crescimento, observam uma assimetria entre as suas mamas. O caso é mais comum do que parece, mas pode ser facilmente corrigido através da mamoplastia reparadora. Ela é indicada para corrigir diferenças tanto de tamanho quanto de formato entre uma mama e outra.

Como há muitos tipos de assimetrias que podem ser constatados em cada corpo, o ideal é conversar com o cirurgião. Não há, nesse caso, um procedimento padrão. Após ser observada a diferença entre as mamas, o médico irá traçar a estratégia para a cirurgia.

Algumas mulheres que enfrentaram o câncer de mama também podem recorrer a esse tipo de mamoplastia. Dependendo de como a doença afetou as mamas, ela pode precisar apenas de uma reparação.

Mamoplastia reconstrutora

Esse tipo de cirurgia plástica nas mamas é indicado principalmente a mulheres que enfrentaram o câncer de mama. É a opção para quem passou por uma mastectomia, processo em que acontece a remoção de uma ou duas mamas.

As mulheres que sofrem as consequência do câncer de mama tem a autoestima diretamente afetada. Os seios, independente do seu tamanho, são parte da identidade de uma mulher.

Para cada uma delas eles têm uma representação e importância única. Quando as pacientes de câncer passam pela mastectomia, podem sofrer com a falta de confiança e autoestima baixa.

O que a mamoplastia reconstrutora permite é, literalmente, reconstruir a mama. O cirurgião utiliza-se de tecido local ou então de outras regiões do corpo para a reconstituição. A prótese de silicone também é utilizada durante a cirurgia, podendo substituir a mama anterior.

Pós-operatório da mamoplastia

A recuperação da mamoplastia requer alguns cuidados especiais dos pacientes. O tempo de recuperação varia em cada tipo delas. Em geral, a mamoplastia de aumento é a de recuperação mais rápida, com o pós-operatório durando até 15 dias.

Confira como o paciente deve proceder e quais os principais cuidados a serem tomados nos pós-operatório:

  • Utilizar sutiã pós-cirúrgico durante pelo menos um mês ou mais, inclusive para dormir;
  • Evitar movimentos com os braços durante a primeira semana;
  • Evitar esforço físico;
  • Dormir de barriga para cima por algumas semanas até a liberação do médico;
  • Não praticar exercícios físicos durante pelo menos 90 dias;
  • Evitar a exposição ao sol por 90 dias para facilitar a cicatrização;
  • Realizar drenagem linfática na região operada após 15 dias.

Os pacientes podem apresentar alguns hematomas, mas que devem desaparecer rapidamente. Em caso de dor excessiva, somente o médico pode receitar medicamentos adequados.

Os resultados da cirurgia são visíveis em algumas semanas. Porém, somente após seis meses os resultados finais realmente se concretizam.

Contraindicações e riscos da mamoplastia

A mamoplastia não é considerada uma cirurgia de alto risco. Mesmo assim, como qualquer procedimento cirúrgico, pode apresentar riscos ao paciente. Conheça alguns deles:

  • Deformação da mama;
  • Rejeição do corpo à prótese;
  • Dores intensas;
  • Perda de sensibilidade na região.