Blefaroplastia

A região dos olhos é uma área marcante no rosto de homens e mulheres, sendo assim, a procura pela blefaroplastia cirurgia plástica nas pálpebras, tem sido cada vez maior. Até mesmo os homens já recorrem ao procedimento que promete acabar com as rugas e a flacidez nos olhos. É uma forma de ter o rosto mais jovem com um método simples.

As cirurgias plásticas na face, em geral, costumam ser preferidas dos brasileiros. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a faixa etária que mais recorre à blefaroplastia é acima dos 40 anos. Contudo, sabe-se que pessoas de todas as idades e gêneros recorrem ao método.

O procedimento é simples e pouco invasivo, mesmo sendo em uma zona sensível do corpo. O tempo de internação para a blefaroplastia, por exemplo, dificilmente ultrapassa 12 horas.

A técnica de “levantar” as pálpebras ajuda a rejuvenescer toda a região dos olhos, dando fim às assombrosas rugas.

Para que serve a Blefaroplastia

A blefaroplastia é um procedimento procurado tanto por questões estéticas quanto para corrigir problemas como a queda da pálpebra. Ela pode oferecer um olhar novo, renovado e muito mais jovial. Entretanto, nem sempre as pessoas acabam passando pela cirurgia por opção.

Há casos em que a blefaroplastia é indicada para quem precisa tratar problemas como bolas de gordura nas pálpebras.

Muitas pessoas também se sentem incomodadas quando as pálpebras superiores acabam sobrepondo o globo ocular. Nessas situações há chances de infecções e o paciente pode ter dificuldade para enxergar normalmente.

Em todos esses casos, por exemplo, a blefaroplastia é uma ótima escolha. Seja para renovar a pele ou para melhorar a visão, a cirurgia é eficiente.

Confira os perfis dos pacientes para o qual a cirurgia é mais indicada:

  • Pacientes com excesso de flacidez nas pálpebras;
  • Pacientes com bolsa de gordura na pálpebra inferior;
  • Casos de ptose (queda da pálpebra por razões muscular);
  • Casos de pseudoptose palpebral (queda por excesso de pele);
  • Casos de remoção de xantelasma (bola de colesterol que pode se formar na pálpebra);
  • Pacientes que desejem eliminar rugas.

Blefaroplastia de pálpebras inferiores

Dentre as várias técnicas de blefaroplastia, a de pálpebras inferiores é uma das mais procuradas. Ela pode ser tanto interna quanto externa.

No caso da a blefaroplastia inferior interna o cirurgião afasta as pálpebras com um retrator. A incisão é realizada na conjuntiva e ele a acessa com um dispositivo cauterizador. Em seguida, remove o excesso de gordura para diminuir o inchaço da região. Para finalizar, realoca o depósito de gordura e sutura a incisão.

Na blefaroplastia inferior externa o médico realiza a incisão na prega das pálpebras. Em seguida, ele realiza outra incisão na camada muscular para acessar a gordura orbital.

É nela que ele poderá remover a pele e o músculo do septo orbital para, enfim, visualizar a gordura a ser retirada. Por fim, ele elimina o excesso de gordura e realiza as suturas necessárias.

Blefaroplastia de pálpebras superiores

A blefaroplastia superior pode envolver a retirada de outros elementos que estejam prejudicando a visão. Acontecem incisões no septo orbital, que fica abaixo da camada muscular. Assim, o cirurgião acessa os depósitos de gordura. Após modelar o local com a retirada de pele, gordura ou ambos, ele sutura o local.

A cirurgia de Blefaroplastia

Em geral, tanto na superior quanto na inferior, a anestesia pode ser local ou geral. A cirurgia dura cerca de uma hora e meia e, muitas vezes, o paciente recebe alta no mesmo dia.

Caso o paciente tenha necessidade de cirurgia na parte inferior e superior, o médico é quem irá avaliar o procedimento. É possível que as duas sejam realizadas em conjunto, mas isso depende do quadro de cada paciente. Não existe um procedimento padrão para esses casos, já que é necessário avaliar o problema em cada uma das pálpebras.

Pós-operatório

O pós-operatório da blefaroplastia pode incluir dores e inchaços na região para o paciente. Contudo, são administráveis e tanto as dores quanto os possíveis hematomas devem desaparecer em uma semana. Alguns cuidados devem ser tomados durante esse período para uma melhor recuperação:

  • Utilizar compressas frias na região para diminuir o inchaço;
  • Repouso durante pelo menos uma semana;
  • Utilizar óculos escuros diariamente por pelo menos 30 dias;
  • Evitar o uso de lentes de contato nas duas primeiras semanas;
  • Higienizar o local com água e sabonete neutro;
  • Evitar a exposição direta ao sol por pelo menos dois meses;
  • Evitar atividades físicas durante por pelo menos um mês;
  • Não retirar os pontos enquanto o médico não o autorizar;
  • Evitar cigarros e bebidas alcoólicas.

Riscos e complicações da Blefaroplastia

A blefaroplastia é um procedimento simples e não é considerado invasivo. Entretanto, como toda cirurgia, pode apresentar riscos ao paciente. O mais indicado é sempre recorrer ao seu cirurgião no caso de reparar em qualquer situação anormal durante a recuperação.

A escolha de um profissional responsável e competente é uma medida que diminui a chance de complicações em qualquer cirurgia.

Confira algumas possíveis complicações após a blefaroplastia:

  • Dor intensa;
  • Inchaço;
  • Visão embaçada;
  • Sangramento;
  • Hematomas;
  • Seroma (acúmulo de líquido no local);
  • Infecções;
  • Trombose;
  • Olhos secos;
  • Disfunção nas pálpebras.

Resultados da Blefaroplastia

Uma cirurgia plástica, normalmente, deixa hematomas e inchaços na região operada. Isso é comum e a blefaroplastia não foge dessa regra. A expectativa é de que eles desapareçam após 10 dias. Entretanto, o resultado final e total de qualquer procedimento desse tipo costuma demorar um pouco mais.

Apesar de as mudanças serem visíveis logo em seguida da blefaroplastia, é preciso ter paciência. O resultado 100%, com a cicatrização completa, somente aparece após seis meses. Muitas pessoas ficam ansiosas, mas é preciso respeitar esse tempo.

O diálogo sincero entre o cirurgião e o paciente é um dos principais momentos no pré-operatório. É ele que determinará as expectativas do paciente.

Quanto mais específico o médico e o paciente foram um ao outro, mais ciente o paciente estará do resultado. Por isso é tão importante a escolha de um profissional que faça o paciente se sentir seguro e esclarecido sobre todas as etapas da cirurgia.